Categorias
Blog Encontros Eventos

Guaramiranga 2022

4º Encontro em Guaramiranga

  • Data: 18 a 20 de março de 2022
  • Local: Hotel Vale das Nuvens – Ecohotel – Guaramiranga / CE
  • Grande Atração: Lançamento do livro Nós
  • Logistica: Pacheco 73/336
  • Administração: Ronildo 73/180
  • Coordenação Geral: Caracas 73/196

Orientações Iniciais 20/09/2021

Blog | Encontros | Eventos
Caracas | Guaramiranga | Pacheco | Ronildo
Categorias
A Turma Blog Encontros EPCAr

BQ50

Adesão

Srs para ter o nome na rela do Jubileu De Ouro EPCAr 73 é preciso fazer parte do grupo, ok?

O grupo é destinado a confirmação da presença na comemoração do Jubileu De Ouro da turma EPCAr 73 em BQ. Ao ingressar e permanecer no grupo você indica a sua intenção de participar do evento. Evitar papos não relacionados ao evento sob pena de confundir os organizadores pela saturação de mensagens. Um abraço da comissão.

A lista de presença no evento “JUBILEU DE OURO” será atualizada, corrigida e divulgada semanalmente. Acalmem seus corações. Evitem a ansiedade por favor.

Proposta

Embora sejam colocações iniciais, algumas proposições foram assinaladas:

1 – Data: 10 a 12 de março de 2023 (sexta a domingo).

2 – Valores: Apesar de não previsível, sugere-se inicialmente o valor de R$ 600,00 por pessoa. As parcelas seriam recebidas de Fev 2022 a Jan 2023, para garantir agendamentos com empresas envolvidas e saldo para honrar compromissos assumidos.

3 – Passagens e Hotéis: A critério de cada um, lembrando que o Hotel Grogotó foi fechado. A Comissão verificaria possibilidades e informaria oportunamente.

4 – Como confirmar participação: Ingressando no grupo “Jubileu de Ouro EPCAR 73” no app Whatsapp ou Telegram, cujos links estarão sendo disponibilizados para o ingresso daqueles que definirem pela sua participação.

5 – Aproveitamos para comunicar que com relação a comemoração do ingresso dos colegas PQD´s na AFA, devido a concentração de eventos comemorativos tanto para os integrantes quanto para a unidade hospedeira e outros aspectos, definimos que a comemoração de 50 anos do ingresso na AFA que ocorrerá em 2026, será considerado como viável por estar eqüidistante em dois anos das comemorações de 45 anos de nossa formatura na AFA em 2024 e de 55 anos de ingresso na EPCAR a realizar-se em 2028.

Ajudem- nos na divulgação de grupos regionais e colegas não participantes de grupos do evento e procedimentos. Vamos todos a BQ.

Categorias
Blog Site Vibração

Dia do Aviador

AVIADORES: UMA HOMENAGEM!

“Somos da Escola Preparatória de Cadetes do Ar…”
Assim, para poucos privilegiados, começa a se materializar o sonho de ser “Piloto da Força Aérea Brasileira”.
Da expectativa juvenil em BQ, ao “voo solo” no ‘Ninho das Águias’, muitas nuvens passaram pelo céu azul de brigadeiro.
E muitas tempestades foram vencidas, entre raios e trovoadas.
Mas a fibra e a resiliência do jovem sonhador venceram o medo e a incerteza.
E lá foram eles cumprir a missão de Santos Dumont: voar, livre voar…
E aprenderam com maestria a superar os tantos Gs nas radicais manobras…
E souberam dominar o sofisticado equilíbrio das “asas girantes”…
E foram longe, e foram alto, levando a nossa bandeira com orgulho e galhardia…
E souberam manter a tradição de “ases da aviação” que cabe aos aviadores brasileiros…
Tradição que se iniciou com o “14 Bis” e o “Demoiselle”…
E se consolidou com os valentes aviadores do lendário “Senta a Pua”, que brilharam nos céus da Itália…
Aos aviadores das turmas BQ73/AFA76 nossa máxima reverência…
Eles que, de “jovens sonhadores” passaram à seleta categoria de “ases da aviação militar brasileira”!!!
E todos nós cantamos com máxima vibração, nesse dia especial: “Somos da Escola Preparatória de Cadetes do Ar…”

73-317/SOUTO
23/10/2020

23/out

Categorias
A Turma Blog EPCAr Histórico Vibração

Senta a Pua

Turma 73

Sérgio Henrique de Andrade Lima. 73/249 (a.k.a Gato).
Projeto Conto e Reconto em Áudio Visual
EPCAR – Escola Preparatória de Cadetes do Ar
Agradecimentos especiais:
Andressa Maia – Angélica Maria – Dalexon Sérgio – Fátima Campelo – Flávia Costa – Gláucio Ramos – Léa Ribeiro

Categorias
A Turma Blog Histórico Vibração

Esquadrilha nº 60 1979-12-15

Sobre o andamento da redação da revista Esquadrilha 1979, informo (Mori – 2020-08-10) que está indo muito bem. Já tenho cerca de 95 páginas rascunhadas com fotos. Faltam ainda preencher algumas lacunas, mas acredito que conseguirei concluir antes do prazo previsto, que é agosto de 2021, no encontro em Guaramiranga. Provavelmente teremos os exemplares impressos e disponíveis em dezembro de 2020.


Estou juntando fotos e subsídios de revistas de outras turmas. Não pretendo fazer uma revista com muitos textos, para não ficar chata a sua leitura. A ideia é ser quase um álbum de lembranças.

Lembrando que o nome “Esquadrilha” é o adotado pela AFA.


Segunda versão da capa da revista Esquadrilha
Na edição, o DOM da AFA e a bolacha da Turma ficariam sem os contornos brancos.
Categorias
Blog EPCAr

Isabelinha

“lindos passarinhos, azuis da cor do Manto de Nossa Senhora” (Isabelinha)

Louca de Amor!

Ruth Esteves

Continuando “ A Loucura de todo Dia”, hoje vou contar para vocês sobre uma pessoa que viveu aqui pelas ruas de minha cidade, sua loucura por um amor perdido ainda na juventude e tendo seu nome ultrapassado muitas fronteiras.

Isabel Vidal, mais conhecida como Isabelinha, era filha única de um rico coronel da região, teve uma educação esmerada, mas se apaixonou por um cadete da Força Aérea Brasileira, e segundo contam, seu pai a impediu de viver este amor, proibindo seu casamento com o amado.

Exímia pianista, muito culta, ao ficar orfã ainda jovem, veio para cá, onde morou perto da Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR) até morrer, muito velhinha. Contam que sua loucura veio daí, sozinha andava pelas ruas da cidade na esperança de um dia rever o amado. Seria bonito se não fosse trágico. O fato que durante toda a sua vida, Isabelinha perambulou pelas ladeiras íngremes recitando seus poemas de amor , usando sua favorecida oratória e postura misteriosa chamando a atenção de todos que por ela passava.

Era uma mulher pequena, magra, com longos cabelos brancos que se vestia sempre desconectada com a moda do dia. Me lembro dela usando um sapato de salto, meias grossas (uma sempre escorrendo por uma perna), um casaco de veludo já surrado pelo tempo, uma bolsa pequena, pendurada elegantemente nos ombros, echarpes chamativas no pescoço, algumas vezes até luvas. Sua boca carnuda chamava a atenção pintada de batom vermelho sangue, que se sobressaiam de sua face, já marcada pelas grossas sobrancelhas negras. Atrás de si, sempre o velho amigo Rex, um cão vira-lata que pacientemente a seguia resignado com seu destino.

Isabelinha como ficou conhecida, passou a ser a musa da EPCAR, por nunca ter escondido sua paixão pela farda azul dos cadetes que aqui passaram. Eles por sua vez, jovens distantes de suas famílias, encontraram nela os mimos de uma mãe extremada. Foi uma troca intrigante.

Eles a protegiam e supriam suas necessidades e ela os cortejava e paparicava com seus carinhos.

Quando deparava em sua caminhada, com um cadete, recitava em alto e bom som seus poemas terminando sempre com os dizeres: “ Lindos passarinhos, azuis da cor do céu, querem contribuir com os pobres… os pobres sou eu, que tanto os amo”. Daí trocava com eles uma divertida prosa, ganhava sempre os trocados pedidos e seguia sua caminhada matinal em busca nunca se soube do que.

Recebeu todas as homenagens das turmas da EPCAR que aqui passaram e principalmente da escola. No comando existe uma tela a óleo pintada sobre encomenda que exprime todo o carinho que tiveram com ela (foto), a transformando na eterna musa dos cadetes. Até hoje quando aqui retornam para comemorarem os aniversários de suas formaturas, colocam uma faixa em sua homenagem, com os dizeres que nunca esqueceram: “Lindos passarinhos , azuis da cor do céu… “

Na cidade ganhou o respeito dos barbacenenses ao usar de sua palavra, nos discursos nos velórios importantes de políticos ou de cidadãos renomados . Sua palavra era esperada como de uma carpideira. Assim viveu aqui, perambulando com sua passiva loucura até o fim de seus dias, falecendo assistida no hospital da EPCAR. Teve um enterro com honras militares e muitas lágrimas de pessoas, que só a entenderam quando a perderam. Até hoje é comum alguém ainda dizer: Coitada morreu de amor!

Isabelinha

Referências